Menu

12/02/2016

O resíduo virou matéria-prima

A Bortolini criou uma ótima alternativa para reutilizar os resíduos de PVC gerados a partir do processo de aplicação das bordas nos mobiliários. Agora, as sobras viraram matéria-prima para produção de cantoneiras de proteção para os móveis. Essas peças substituíram as cantoneiras de papelão. Após três meses de coleta dos resíduos, aproximadamente 3 toneladas já foram recicladas. Para cada 1.000 kg de restos de PVC, são produzidas 5 mil cantoneiras. A necessidade de cantoneiras ainda é maior do que a quantidade de resíduos gerados, com isso, a Bortolini adquire resíduos de outras empresas para atender a demanda interna.

O Gerente de Produção da Bortolini, Cleber Cini, acompanhou o desenvolvimento dessa ação e cita que, em media, a fábrica gera 1,5 toneladas mensais de sobras de bordas. O que antes tinha como destino aterros legalizados, hoje é visto como um benefício para o processo fabril e principalmente para o meio ambiente.

Práticas ecoeficientes já fazem parte da vida da Bortolini. Toda estrutura fabril foi projetada numa visão sustentável, aproveitando da melhor forma possível os recursos naturais. Essa preocupação com a sustentabilidade fez da Bortolini uma das primeiras empresas do segmento a ter o selo FSC e conquistar o Prêmio IF Product Design Award através do produto Legale, reaproveitando retalhos de madeira na estruturação das estantes dessa linha.

Voltar para notícias

outras novidades

Receba nosso conteúdo exclusivo